Final de semana de três dias: Sonho ou realidade?

A empreitada ainda é novidade para a maioria dos trabalhadores, mas o seu teste já foi realizado em algumas empresas da rede Unilever, na Suécia é até em uma prefeitura na cidade de Utah nos Estados Unidos. Agora foi a vez da Microsoft Japão realizar o experimento. Durante um mês a empresa deu a sexta feira de folga para os seus 2.300 funcionários, o que aumentou a produtividade em 40% ao longo do período. E reduziu em 23% as ausências por questões de saúde.

A semana de trabalho mais curta forçou os funcionários a otimizarem seu tempo de produção. Com uma semana de apenas quatro dias as reuniões na Microsoft ficaram mais curtas, a comunicação privilegiou o envio de e-mails ao invés de reuniões e as mesmas foram limitadas ao tempo de 30 min.

Mas será que a semana mais curta é só mais um final de semana prolongado?

Para os economistas David Rosnik e Mark Weisbrot, geralmente a redução da jornada de trabalho acarreta uma queda no consumo de energia.

Em um período de preocupações maiores com a sustentabilidade das formas de trabalho e o meio ambiente a semana mais curta pode ser uma das soluções. Com um dia a menos de uso de energia no escritório as instituições podem chegar a economizar mais de 20% no consumo de energia. Além de que, o consumo de papel nos escritórios pode ser reduzido em até 60%.

Com uma semana mais curta é possível para os funcionários investirem em hábitos de vida mais saudáveis, passarem mais tempo com a família e até mesmo desenvolverem novos hobbies, tornando o ambiente de trabalho mais agradável e menos estressante.

Claro que a nova organização ainda gera preocupações para os gestores, que encaram a prática de maneira desconfiada, até por que é um sistema que vai contra aos horários comerciais pré-estabelecidos o que levanta questões sobre horários de atendimento e como isso funcionaria em negócios no qual a presença é crucial para o seu funcionamento e sucesso.

E na sua empresa, o que achariam de uma semana de mais curta?

Blog ACMinas 

COMPARTILHAR:

COMENTÁRIOS:

Deixe o seu comentário!